terça-feira, 10 de novembro de 2009

A DANÇA



"Eu louvo a dança, pois ela liberta as pessoas do peso das coisas, unindo
os dispersos em comunidade.
Eu louvo a dança que requer muito empenho, que fortalece
a saúde, o espírito iluminado e transmite uma alma alada.
Dança é mudança do espaço, do tempo, do perigo contínuo de
dissolver-se e torna-se somente cerébro, vontade ou sentimentos.
A dança requer o homem libertado, ondulando
no equilíbrio das coisas. Por isto, eu louvo a dança.
A dança exige o homem todo, ancorado em seu centro,
para que não se torne, pelos desejos desregrados,
possesso de pessoas e coisas, e arrancando-o da demonia de
viver trancado em si mesmo.
Ó homem, aprende a dançar! Caso contrário os anjos
do céu não saberão o que fazer contigo."


Santo Agostinho (354-430)
Bispo e Doutor da Igreja

PS:
Amigos, impossível não postar tão lindo comentário de nossa amiga Priscila, do blog http://pcotaveira.blogspot.com/ . Aliás, chamar de comentário chega a ser heresia, o que na verdade, é Poesia. Sim, Poesia com "P" maiúsculo. Obrigada, Priscila por ornamentar tão belamente  o que seria só um simples post.

Nereida. Dança é expressão exprimida por ti 'onde o tempo não pára. Desliza suave, macio e suspira'. A combinação de notas e acordes que vão se acasalando numa valsa harmoniosa. E unimo-nos. O cheiro no momento é capturado em pele de entrega e a transformação nada podendo resistir, pois é aí que se autopsicografa em areia macia sob os pés. Toda vez ecoada cenas, reescreve diálogos. Canta fôlego de desenho em fita e o bilhete partiturado nos passos, desliza brilhar o neon de promessas não apagas. O vento conversa, tudo é prazer sem forma, pois é inteireza. O compor duma tatuagem perfeita e nos descola quando em todas as fases as letras formam nuvens no céu azul enquanto é esquadrinhado na alma a canção da hora marcada do desde amanhecer até o pô-do-sol. E assim, silêncio nas curvas a palavra que saliva a vida.
Abraços e paz


Priscila Cáliga

14 comentários:

Adolfo Payés disse...

Sentir tus versos.. es precioso

Un beso

Un abrazo
Saludos fraternos..

Ana Maria disse...

Eu louvo tbm...
Lindos versos...

Abraços

disse...

Bom dia minha lindinha!!! Obrigada por suas palavras tão gentis... Um dia lindooo!!!
Bjss

Graça Tristão disse...

AMIGA NEREIDA...CÁ ESTOU...SENTIU MINHA FALAT? ESTAVA COM SAUDADES TAMBÉM...AGRADEÇO SUA VISITA E POR ME SEGUIR NO "ARTE E MIMOS"...NÃO ESTAVA DANDO CONTA DE 7 BLOGS...QUERO REDUZIR E DEIXAR 4...TEM 1 QUE JÁ EXCLUI...2 ESTÃO SEM COMENTÁRIOS...E LOGO IREI EXCLUÍ-LOS, AGORA TEREI MAIS TEMPO...
A PAZ E A LUZ ILUMINE SEU CAMINHO...
BJ
GRAÇA

Canteiro Pessoal disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Canteiro Pessoal disse...

Nereida. Dança é expressão exprimida por ti 'onde o tempo não pára. Desliza suave, macio e suspira'. A combinação de notas e acordes que vão se acasalando numa valsa harmoniosa. E unimo-nos. O cheiro no momento é capturado em pele de entrega e a transformação nada podendo resistir, pois é aí que se autopsicografa em areia macia sob os pés. Toda vez ecoada cenas, reescreve diálogos. Canta fôlego de desenho em fita e o bilhete partiturado nos passos, desliza brilhar o neon de promessas não apagas. O vento conversa, tudo é prazer sem forma, pois é inteireza. O compor duma tatuagem perfeita e nos descola quando em todas as fases as letras formam nuvens no céu azul enquanto é esquadrinhado na alma a canção da hora marcada do desde amanhecer até o pô-do-sol. E assim, silêncio nas curvas a palavra que saliva a vida.

Abraços e paz

Priscila Cáliga

{♥Åññä Lµí§ä♥}_L€ØNARÐØ disse...

Olá,Nereida!
Passando para deixar meu carinho e agradecer sua visita!

Uma excelente noite para você
beijoss fica com Deus!

{♥Åññä Lµí§ä♥}_L€ØNARÐØ disse...

Olá,Nereida!
Passando para deixar meu carinho e agradecer sua visita!

Uma excelente noite para você
beijoss fica com Deus!

Pedaços de Tempo disse...

Olá Nereida,

Antes de mais, obrigado pela sua visita e comentário no meu blog!

Subscrevo completamente este seu belo texto. Pratiquei danças de salão durante 3 anos. Actualmente, e porque o "tempo não pára...", tive de realizar uma pausa. Contudo, espero em breve retomar.

Para mim, dançar é um momento de pura liberdade embebida em movimento ritmático, com o qual nos abstraímos completamente do mundo e dos seus problemas, ainda que, apenas por breves instantes...

Gostei do seu espaço e, pela sua atitude nobre de colocar um slide de crianças desaparecidas!!

Por fim, resta-me dizer que há um lugar no meu “vitral” de boa gente só para si, da mesma forma que houve um no seu só para mim!

Um grande abraço deste lado do atlântico,
CR/de

NaLú disse...

Oi Nereida!
Estamos passando para conhecer seu eapaço. tudo muito lindo aqui, parabens!
Santo Agostinho tornou-se um imortal por suas sábias palavras!
Que vc tenha um final de semana recheado de amor , alegrias e muita paz!
Deixamos aqui nosso endereço:

http://momentos-de-amor.zip.net/

Beijos em seu coração

A & C

Graça Tristão disse...

AMIGA NEREIDA GRATA PELA VÍSITA!
VOCÊ É SEMPRE BEM VINDA AOS MEUS CANTINHOS...
UM LINDO FDS CHEIO DE LUZ E PAZ NO SEU CORAÇÃO!
BJ
GRAÇA

Irene Moreira disse...

Nereida... como gosto de dançar, me sinto leve, minha mente sai do ar e deixo aqui um pedacinho de um texto que tenho da Sôni Imenes que é dançarima e terapeuta corporal.

"Dançar é um alimento para a alma, um alento para o espírito

Dançar traz alegria. A verdadeira alegria de poder reconhecer e expressar, de forma simples e direta, os anseios da alma.
Dançar nos restitui os laços perdidos com nossa própria essência. Isso realmente acontece quando nos entregamos ao seu movimento como uma onda que brota espontaneamente, de uma fonte que não é racional, nem esteticamente premeditada. Quando deixamos que o movimento expresse livremente algo que é único em cada um de nós. Nesse sentido, a dança espontânea se revela como sendo uma linguagem corporal subjetiva, rica de significados. Assim, a dança se abre como um caminho maravilhoso para o autoconhecimento."
Beijos amiga

nereida disse...

Irene, não tenha dúvida que é uma feliz definição da dança! Esse texto lembrou-me a grande dançarina, Isadora Ducan, que , fugindo à rigidez da dança clássica, única dança "decente" da sua época, resolveu externar apenas aquilo que a sua alma pedia... a liberdade de exprimir os sentimentos através da dança espontânea! Bj

por Marcia S. Zen disse...

Oi Nereida, td bem contigo?

foi teu texto que me inspirou a postar algo sobre a dança no meu blog: simplesmente lindo!!!
beijo e ótimo findi!!!

Marcia Zen

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails