sábado, 17 de outubro de 2009

Felicidade - Hermann Hesse




"Entre as palavras, existem para cada falante as prediletas e as estranhas, preferidas e evitadas, cotidianas - que se usam mil vezes sem temer o desgaste - e outras - solenes - que, por mais que as amemos, só pronunciamos ou escrevemos com cuidado e reflexão, como objetos raros: fazendo as escolhas que correspondem a essa sua solenidade. Entre elas está para mim a palavra felicidade."


( Do livro "Felicidade", de Hermann Hesse )  




Nesse livro escrito já perto de morrer, Hesse viaja por lembranças, hábitos, cotidiano, observações sobre a natureza e os pequenos prazeres da velhice.
É um exercício do prazer de escrever, arte que tão bem cultuou.
É uma espécie de diálogo íntimo e fecundo consigo mesmo, mas, que reverbera no leitor como se, ele, o leitor, estivesse, falando consigo. Não se pode deixar de pensar quanto de arte há no ofício de escrever. As letras, palavras e frases que poderiam, na mão de qualquer um, nada dizer se tornam expressão mais pura de sentimentos e sensações pessoais (ou não) sobre si mesmo e o mundo exterior.
Ah! Que belo ofício! Sinto-me envergonhada desse rabisco que agora externo.
Não sou, em definitivo, uma artista da arte de escrever, sou tão somente, um aprendiz da arte de viver!


Nereida Coelho

13 comentários:

Canteiro Pessoal disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Canteiro Pessoal disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Canteiro Pessoal disse...

Nereida. Sempre visito seu espaço em demora, mas pretendo passar com mais presença. Seus comentários são singelosos como seus escritos e escritos escolhidos de autores fantásticos. O que dizer sobre a escrita, a tal arte que está nas letras e que ainda tão poucos não se atem e menosprezam, afinal o povo é tanto do visual e esquecem que nas letras há tanta beleza. E aqueles que apreciam são diversas vezes cotados como solitários. Mas, o que é ser solitário? Ser esse solitário é não se ser em essência. Realmente, a escrita é um exercício do prazer, arte tão bem cultuada que nos envolve ao intraduzível. Tenho por mim que o indizível é o que nos impulsiona a fragrância única e metamorfal.
Foste feliz no dizer: "É uma espécie de diálogo íntimo e fecundo consigo mesmo, mas, que reverbera no leitor como se, ele, o leitor, estivesse, falando consigo" Concordo plenamente. Esse diálogo nos leva ao cume e nossas expressões e sensações múltiplas vão além do que se imagina. Não se sinta envergonhada, apenas deixe seus dedos fluirem, assim como alma nua, é em rabisco que saem as belas partituras. Tanto eu como tu, não sou 'artista da arte de escrever, sou tão somente, um aprendiz da arte de viver!'. E viver requer coragem em ser alforria pura.

Beijos e belos dias.

Priscila Cáliga

Graça Tristão disse...

Nereida agradeço sua visita! Tem selinho para amigas traga para o seu cantinho!
PAZ no seu coração...
Graça

♥ ♥ Eu disse...

Nereida, vim agradecer a carinhosa visitinha e dizer q adorei poder conhecer um espaço tão aconchegante, onde as palavras fluem direto do coração.

Somos todos uns parendizes na arte de viver com exceção de alguns q possuem um dom especial e transformam a vida numa grande obra de arte.

Vou seguir vc e tb linkar, tá.

bjo grande e linda tarde de domingo!

dan disse...

oi amiga saudades tenha uma otima semana e tb te ofereçer selinho amizade bjss

*Teresa Cristina* disse...

Olá Nereida....fico feliz q vc venha fazer parte do meu caminhar que tbém agora é teu, enfim nosso caminhar.
Adorei teu blog tbém!!
Obg por compartilhar um cantinho tão especial!
Estarei sempre q puder por aqui, viu???!!
Bjss no ♥

Irene Moreira disse...

Olá Nereida. Passando na amiga Wall cheguei a você e estou encantada com o pouco que li e vi de seu cantinho. Temos algo em comum pois sou Biologista onde pouco exerci,casei tive um filho , hoje já homem e dediquei uma vida profissional a executiva Comercial de Telecomunicações e tenho a alma no Marketing, na criação. Quanto ao que postastes tão bem sobre Hermann Hesse não considero um rabisco pois a arte de escrever só pode ser pautada e inspirada na arte da vida. Um bom final de domingo e voltarei mais vezes para aprender com o tão bom conteúdo "Onde o tempo não para". Bjs

Isabel Cristina disse...

OI Nereida, vim agradecer sua visita e seu comentário lá no blog. Seu blog é de belas palavras! Beijocas

Graça Tristão disse...

Nereida ainda bem que temos lembranças maravilhosas para recordar...
Quanto a sua "arte de aprendiz" você pode ser considerada uma "Professora" com tão belos rabiscos!
Um lindo final de tarde prá você com muita PAZ no coração!
Graça

Graça Tristão disse...

Nereida ainda bem que temos lembranças maravilhosas para recordar...
Quanto a sua "arte de aprendiz" você pode ser considerada uma "Professora" com tão belos rabiscos!
Um lindo final de tarde prá você com muita PAZ no coração!
Graça

Silvana Nunes .'. disse...

...............................................
Maravilha o seu cantinho.
Na intenção de divulgar o meu trabalho, cheguei até você.
Gostei muito do seu espaço. Eu não estou podendo ler tudo de uma vez porque a tela do computador atrapalha um pouco a minha visão, mas certamente voltarei mais vezes. O meu oftamologista pediu que desse um tempo da telinha... e eu sou fraca ?
O meu território já está demarcado.
Convido a dar uma espiada em "FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER.." ( o seu cantinho de leitura), em:
http://www.silnunesprof.blogspot.com
Terei sempre uma história para contar.
Saudações Florestais !

Irene Moreira disse...

Nereida Obrigado pela visita e por me linkar. Eu já estou com teus links para postar. Depois passe na Casa dos Presentes e pegue os selinhos que repasso a todos. Leve o que gostar. Se tiver tempo ande mais um pouquinho e vá até a vitrine de sonhos e dê sua opinião, pois é assim que vamos acertando e crescendo. Bjs e boa semana.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails